segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Os melhores meteorologistas da cidade

Antes mesmo de cair a primeira gota de chuva ou de você comentar com o seu vizinho no elevador que vai chover, os melhores metereologistas da cidade do Rio de Janeiro entram em ação.

São milhares espalhados por toda a cidade. Olham para as nuvens do céu, observam milimetricamente cada movimento de nuvem e tomam uma decisão: retiram das sacolas escondidas em algum lugar perto de onde estejam, guarda-chuvas que vendem a 5 ou 10 reais, dependendo do lugar e da intensidade da chuva.

Trabalhadores, estudantes...Gente de todo o tipo (logicamente aqueles que não gostam de chuva) dirigem-se àqueles nobres ambulante que prestam um serviço a todos aqueles que não esperavam a chuva naquele momento.
Isso sem contar, é claro, com aquelas pessoas que esqueceram o guarda-chuva no trabalho, na escola, na faculdade ou em algum outro lugar qualquer.

A chuva, enfim, faz a alegria desses milhares de meteorolgistas-ambulantes que encontram no fenômeno natural uma fonte de renda.

---------------------x----------------------------

Música do dia: Sentado à beira do caminho (Erasmo Carlos)

Um comentário:

karine disse...

...poucas pessoas tem a sensibilidade para perceber o que você escreveu tão bem no blog...fenômenos naturais são fonte de renda, milionárias ou subsidiarias. Uns construindo, inventando prédios com molas a prova de terremoto e outros com guarda-chuva... Essas pessoas adivinham? Da onde retiram os tais sacos com os guarda-chuvas? De alguma maneira eles sabem, não por possuírem poderes sobre-humanos, mas porque optam por acreditar na previsão do tempo e estão dispostos a ficarem horas esperando a bendita da chuva para ganhar um dinheirinho...

Sei bem quem são essas pessoas, todos que trabalham pelo centro do rio sabem bem, quantas vezes não fui parada por um deles, mas eu gosto da chuva... e eles...bem ...eles aparecem com a chuva e somem com ela...

então que venha a chuva, para que ela traga um sustento extra a esses "meteorologistas da necessidade"...

Beijos!